Resta

No início de tudo

Em meio ao silêncio mudo

Alguém

Se manifesta

 

E do que era quase nada

De maneira inesperada

De repente faz-se

Festa

 

Alegria desmedida

Felicidade incontida

De uma ambição

Modesta

 

Mas a verdade

Indigesta

É deveras plausível

Demasiado insensível

Não comporta sonho

Impossível

 

À voz da razão surdo

Amigo do absurdo

O coração simplesmente

Contesta

 

Rebelde, irresignado

Mas também decepcionado

Ergue sua voz

E protesta

 

A alma então silencia

Quando se sentencia

A pena de um beijo

Na testa

 

Depois de tudo

Resta

A palavra inaudível

O sorriso invisível

A distância

Intransponível.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s